Seguidores

sábado, 6 de julho de 2013

Nós e o Pensamento




 
Certo dia, ao chegar da escola, o pequeno Zeca entrou em casa batendo forte os pés no assoalho.

Seu pai, que saía para o quintal a fim de fazer alguns serviços na horta, ao ver aquilo chamou o menino para uma conversa.
Zeca, de oito anos de idade, o acompanha um tanto desconfiado.
Porém, antes que seu pai dissesse alguma coisa, o menino falou irritado:

Pai, estou com muita raiva! O Juca não deveria ter feito aquilo comigo!
Eu desejo tudo de ruim para ele.
Seu pai, um homem simples, mas portador de grande sabedoria, escuta calmamente o filho que continua a reclamar:
O Juca me humilhou na frente dos meus amigos. Eu não aceito isso! Gostaria que ele ficasse doente sem poder ir para escola.

O pai escuta calado o desabafo do filho, enquanto caminha até um abrigo, onde guardava um saco cheio de carvão.
Tomou o saco de carvão e pediu ao menino que o acompanhasse até o fundo do quintal. O menino o acompanhou, sem entender bem o que estava acontecendo.
O pai abriu o saco e, antes mesmo que o filho pudesse fazer alguma pergunta, propôs algo:

Filho, está vendo aquela camisa branquinha estendida ali no varal para secar? Pois bem, faça de conta que ela é o seu amiguinho Juca, e cada pedaço de carvão é um mau pensamento seu, endereçado a ele.
Quero que você jogue todo esse carvão naquela camisa, até o último pedaço, como se fosse tiro ao alvo. Quando terminar, avise-me, que eu volto para ver como ficou.
O menino achou a brincadeira divertida e pôs mãos à obra. Todavia, o varal com a camisa estava longe, e por esse motivo, poucos pedaços acertavam o alvo.
Após mais ou menos uma hora, o garoto concluiu a tarefa e gritou por seu pai.
O pai aproximou-se devagar, olhou para a camisa e perguntou:

E então, filho, como está se sentindo agora?
O filho respondeu prontamente:
Estou cansado mas feliz porque acertei muitos pedaços de carvão no Juca, quero dizer, na camisa.
O pai olhou para o menino, que ficou sem entender a razão daquela brincadeira, e lhe falou com carinho:
Venha comigo até meu quarto, quero lhe mostrar uma coisa.
Ambos se dirigiram até o quarto e o menino foi colocado na frente de um grande espelho, onde pôde ver seu corpo por inteiro.
Que susto! Só se conseguia enxergar seus dentes e seus olhinhos.
Então o pai lhe disse com ternura:
Filho, você viu que a camisa quase não sujou, mas olhe para você...

O mal que desejamos aos outros é como o que lhe aconteceu. Por mais que possamos atrapalhar a vida de alguém com nossos maus pensamentos, a borra, os resíduos, a fuligem, ficam sempre em nós mesmos.
Zeca sorriu envergonhado e falou:
Vou tomar um banho e depois... lavar uma certa camisa.

* * *

Quando um pensamento infeliz sai da nossa mente, abre espaço para ali se instalarem miasmas de enfermidades.

Ao contrário, quando nossos pensamentos são nobres, é como se suave bálsamo penetrasse nossa alma, inundando-a de tranquilidade e paz.
Pensemos!

in "Momentos de reflexão"


Bons dias
Todos os dias!

Beijo!

                Túlia



                                   
 

11 comentários:

Humberto Maranduva disse...

Os ensinamentos contidos nesta pequena história são, efectivamente, fulcrais para que possamos daí retirar as devidas ilações e perceber o efeito pernicioso de tudo quanto de negativo nos pode atravessar a mente (como acontece no texto anterior), uma vez que as representações mentais mais nefastas, prejudicam principalmente quem as alimenta, muito mais do que aqueles a quem as mesmas se dirigem.

LUZ disse...

Olá, Túlia!

Como você está?

Quanto tempo, né?
Parei meus blogs, temporariamente, por motivos profissionais, e não estou também deixando comentários nos blogues amigos e seguidores dos meus.

Como não sei se visitou ou não, ultimamente, meus blogs, onde se encontra essa informação, vou comentar sua postagem.

De facto, tudo o que semearmos, colheremos.
Se dermos um sorriso, dificilmente alguém nos fará cara feia.
O bem chama o bem e o contrário, também sucede.

Bom fim semana.

Beijos da Luz.

Beatriz Bragança disse...

Querida Túlia
Há quanto tempo! Queria ir ao seu blog e não sabia como.Agora estava a ver o meu correio de hotmail(outlook) e vi lá um link:cliquei e tive esta agradável surpresa.Vi que já sou sua seguidora,mas nem todas as indicações aparecem nas nossas páginas.
Belíssima é a imagem que escolheu e o texto,magnífico,é uma grande lição de vida.Muito obrigada pela partilha.
Uma boa semana.
Beijinhos da
Beatriz
Blog - Vida e Pensamentos
http://pegadasdeanjo.blogspot.com

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Passando para deixar um beijinho e desejar que tudo esteja bem.

Sonhadora

✿ chica disse...

Maravilhosas lições nesse belo texto,Túlia! Bom te ver! Tudo de bom,beijos,chica

edumanes disse...

Nós e o pensamemento
E a paciência de quem sabe escutar
Com sabedoria e talento
De quem sabe com inteligência aconselhar

O Zeca, estava irritado
E com certeza com razão
O seu pai homem bem educado
As sua palavra de raiva escutou com atenção!

Escusado será dizer
Que à violência não o aconselhou
Tudo terá feito para ele entender
E o caminho certo lhe indicou!

Obrigado amiga Júlia Catalão
Pela sua valiosa visita
Saúde, paz e alegria em seu coração
Um abraço com desejos de um bom dia!
Eduardo.

edumanes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
edumanes disse...

Não é Júlia é Túlia
Fica aqui a correcção
Não o fiz com astúcia
Mas sim com boa intenção!

LUZ disse...

Olá, querida Túlia!

Que bom que tu apareceste!

Obrigada pela tua presença e palavras gentis, que deixaste num dos meus blogs.
Tudo se vai resolvendo, minha querida.

Lindos dias.

Um beijo da Luz, com carinho.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Agradecendo a visita carinhosa, gostei muito de te sentir lá no meu cantinho.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Ives disse...

Os pensamentos positivos atraem novos pensamentos positivos; criando assim um campo magnético saudável e firme! abração